quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Divórcio, um duro golpe na estrutura da família

By Aristides Girardi


Nunca na história deste país, tantos executivos e profissionais se divorciaram como em 2010. Os números são alarmantes. Só em São Paulo o aumento foi de 150%. Só no mes de agosto foram 2.193.Um tsunami. Fico pensando quando entrar em vigor a nova lei que facilita o divórcio pela internet.
A família está definitivamente sofrendo mutações, isto é uma realidade. Em uma classe escolar de 3a. série em Curitiba, de 25 alunos, 17 são filhos de pais divorciados. E aí coloque no "embrólio", filhos do pai, filhos da mãe, filhos da mulher do pai, filhos do marido da mãe, filhos do pai e da mulher dele, filhos da mãe e do marido dela, tão conseguindo acompanhar? Tudo isso somado ao fato de que em geral quem "cria" essa criançada toda é a escolinha, a escola, a vó, o vô, o tio, a tia, a babá, porque esse monte de pais e mães, trabalham e não tem tempo a "perder" com assuntos "operacionais". Daqui a 30 anos, os recrutadores e empresários vão ter uma bela dor de cabeça para entender o resultado de tudo isso na hora de selecionar um executivo e profissionais em geral. Cada dia mais entrevisto e seleciono executivos e executivas divorciadas, felizmente as empresas começam a entender o momento histórico do problema e cada dia mais estão contratando divorciados, sem problemas. O que me surpreende é que em um momento em que todos os indicadores econômicos são positivos no Brasil, o número de divórcio dispara, sinalizando que a nossa sociedade tem problemas crônicos de relacionamento e convivência. Como este tema, em tese, vai continuar de "mal a pior", nos resta debater com quem está divorciando, quase divorciando, já divorciou, já pensou em divorciar e na troca de experiências, pontos de vista, opiniões, sugestões, tentar ajudar a quem ainda está casado e dar o maior apoio a quem já divorciou, para que ninguém fique doente, deprimido, stressado, com síndrome de pânico e tantas outras possíveis consequências. Qual é a saída? Com a palavra VOCÊ leitor!

World Time